Ir para o conteúdo

Norma nº 017/2018 atualizada a 29/06/2021

Encaminhamento de Pessoas com Coagulopatias Congénitas

Voltar
Norma em PDF
Partilhe em:
  1. As pessoas com coagulopatias congénitas que necessitem de intervenção de urgência/emergência devem ser encaminhadas para a unidade hospitalar onde regularmente são acompanhadas ou para a unidade hospitalar mais próxima que disponibilize tratamento específico com fatores de coagulação (anexo 1).
  2. As Coagulopatias Congénitas incluem:
    1. Hemofilia A e B
    2. Deficiências de outros fatores da coagulação
    3. Doença de von Willebrand
    4. Doenças plaquetárias congénitas (por exemplo, Síndrome Bernard Soulier, Trombastenia de Glanzmann)
  3. No caso de pessoas com coagulopatias congénitas e inibidores devem ser encaminhadas diretamente para o Centro de Referência mais próximo, por precisarem de tratamento bypass.
  4. As pessoas com coagulopatias congénitas devem ser transportadas com recurso ao transporte urgente do INEM caso apresentem:
    1. Hemorragias do Sistema Nervoso Central (SNC);
    2. Hemorragias e/ou traumatismos do pescoço/vias aéreas;
    3. Hemorragias Gastrointestinais (GI);
    4. Traumatismo craniano de qualquer intensidade;
    5. Politraumatismos.
  5. As pessoas com coagulopatias congénitas em situação de hemorragia aguda articular e/ou muscular, bem como outras hemorragias que não têm risco imediato de vida, devem ser transportadas com recurso a transporte urgente em ambulância indiferenciada.

fluxograma da norma
Voltar